Permacultura em prosa visita à Estação de permacultura Moinhos de Luz

Nesse episódio, o Permacultura em prosa visita à Estação de permacultura Moinhos de Luz em Rio Fortuna/SC, onde vive a família Souza, que se dedica a agricultura agroecológica e permacultura. A conversa com o jovem casal Reinal do e Stefanie nos traz um pouco sobre como é a rotina de vida de uma família que vive a lógica da permacultura.

A Estação Moinhos de Luz nasceu da vontade de colocar em prática uma proposta de mudança no modelo de produção agrícola. Utilizando a permacultura e agrofloresta, em 2014 a produção começou procurando aumentar a sustentabilidade da propriedade, reviver o solo e manter uma relação saudável com a natureza gerando renda para a família.

Assista outras conversas do Permacultura em prosa.

Permacultura e o sistema alimentar

Permacultura em prosa traz uma conversa com Yasmin Monteiro e Arthur Nanni sobre permacultura e sua relação com o desenvolvimento da segurança alimentar e nutricional. Como a permacultura pode ser aplicada na produção, processamento, comercialização, consumo e descarte de alimentos para gerar ciclos de vida, ao invés de cadeias lineares de produtividade? O papel da sociobiodiversidade e das redes autogestionáveis na garantia do direito à alimentação adequada, saudável e sustentável. Acompanhe conosco as éticas e os princípios da permacultura utilizados em experiências exitosas de soberania alimentar ao redor do mundo. A conversa foi gravada para ser apresentada na 3ª edição do Congresso Brasileiro Online de Comportamento Alimentar, Alimentação e Saúde.

O projeto Permacultura em prosa é uma iniciativa de extensão do NEPerma/UFSC e da Rede NEPerma Brasil em parceria com o Departamento de Educação do Campo da UFSC. Assista outros episódios em nosso canal no YouTube.

Agroflorestinha – ensinando autonomia e sustentabilidade

O Permacultura em prosa traz Jefferson Mota e Arthur Nanni em uma prosa sobre uma nova metodologia de ensino sobre Sistemas Agroflorestais a partir de uma ferramenta lúdica – porém sem deixar de lado a “complexidade” existente em sistemas agroflorestais. Desenvolvida a partir das observações e práticas do agrônomo, o sistema Agroflorestinha compreende uma dinâmica forma ensino e aprendizado, que permite compreender arranjos de produção de alimentos visando a estabilidade agroecológica por meio da diversidade de espécies que podem ser colhidas num espaço de tempo entre 1 mês a até 20 anos ou mais.

O projeto Permacultura em prosa é uma iniciativa de extensão do NEPerma/UFSC e da Rede NEPerma Brasil em parceria com o Departamento de Educação do Campo da UFSC. Assista outros episódios em nosso canal no YouTube.

Rede NEPerma Brasil no Podcast No Ar da Unicamp

Nesse episódio do Permacultura em prosa, o NEPerma em parceria com o podcast No Ar da Unicamp, traz uma conversa com o professor Arthur Nanni sobre permacultura, campo, produção, sustentabilidade. Na entrevista, Waldir Rodrigues conduz perguntas sobre a temática da inserção da permacultura no ensino público brasileiro e sobre as relações entre a permacultura e direitos humanos.

O projeto Permacultura em prosa é uma iniciativa de extensão do NEPerma/UFSC e da Rede NEPerma Brasil em parceria com o Departamento de Educação do Campo da UFSC. Assista outros episódios em nosso canal no YouTube.

UFSC e EPAGRI lançam nota técnica sobre resíduos sólidos rurais

Zonas energéticas para resíduos sólidos rurais.

Parceria entre permacultores do Núcleo de Estudos em Permacultura / UFSC (NEPerma/UFSC) e da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (EPAGRI/SC) a nota técnica Resíduos Sólidos Rurais aborda a necessidade de mudarmos a tradicional abordagem centralizada de gestão dos resíduos sólidos, para um novo paradigma, onde a proatividade através da participação cidadã, esteja presente e seja pensada a partir da escala de percepção do indivíduo, da sua unidade rural ou mesmo, da comunidade que o abriga, permitindo que o mesmo possa entender como se dá o processo de gerenciamento, bem como, possa estabelecer estratégias de resoluções efetivas para a gestão.

Transformar, encaminhar, recusar/repensar, reciclar e aproveitar. Novas possibilidades de entendimento sobre resíduos sólidos rurais.

Escrito com termos de fácil compreensão, a nota traz em seu conteúdo um novo entendimento sobre os resíduos sólidos, onde é necessário pensarmos em transformar, encaminhar, recusar, repensar, reciclar e aproveitar resíduos como recursos. O documento conta com uma série de links e imagens que facilitam a compreensão da proposta de gestão descentralizada e de escala local/comunitária.

Estruturada de forma sistêmica, a nota foi pensada para ser aplicada a qualquer unidade rural familiar, seja ela convencional, orgânica, agroecológica ou permacultural. Para tal, os pesquisadores apresentam a aplicabilidade da lógica de planejamento da permacultura, onde problemas podem e devem evitados, ou mesmo, serem reconhecidos como oportunidades.

Um mapeamento detalhado sobre os resíduos comumente presentes na unidade rural resultou em um mapa conceitual que abrange: contaminantes, insumos, metais, mistos, orgânicos e papel, plásticos, tecidos e vidros. Para essa gama de materiais são propostas, onde possível, alternativas de substituição, transformação e/ou aproveitamento.

Confira aqui a nota técnica na íntegra.

Carregar mais